Santo Antão é uma das 9 ilhas habitadas de Cabo Verde, localizada no grupo chamado de Barlavento, com aproximadamente 40 km de extensão longitudinal e cerca de 20 km de largura, perfazendo uma superfície de 779 km², a segunda maior ilha. A sua população é de 47.000 habitantes. Santo Antão é a ilha mais ocidental do arquipélago e também mais setentrional. O nome foi dado por seus descobridores antes de 1500, em consonância com o santo do dia da descoberta, da mesma forma que ocorreu com as outras ilhas do grupo: São Vicente, São Nicolau e Santa Luzia.

A capital da ilha é a vila de Ribeira Grande. De origem vulcânica, tem sido observada contínua elevação da temperatura da água do mar na região de Ponta do Sol. Esse facto levou vulcanólogos a declarar que é crescente o risco de novas erupções naquela área. Aliás, a história geológica desta ilha é marcada por períodos de atividade vulcânica intensa interrompidos por fases em que a erosão foi marcante. Com efeito, as ribeiras são profundas e os picos e os cumes apresentam-se escarpados. O ponto mais elevado da ilha é o Tope de Coroa, com 1979 m, um vulcão inativo, seguido do Pico da Cruz, com 1585 metros. A paisagem íngreme, contrastando áreas verdes com regiões absolutamente secas, é um forte atrativo para os turistas com gosto por longas caminhadas e turismo-aventura. A paisagem da vertente ocidental é desértica, de vegetação herbácea. Os planaltos, na parte central da cordilheira, apresentam um clima fresco e úmido sendo cobertos de árvores como o eucalipto, o cipreste, o pinheiro e a acácia, impensáveis no resto do arquipélago.

A vertente oriental é verdejante fazendo de Santo Antão uma ilha eminentemente agrícola. Aliado à hospitalidade do seu povo, a ilha de Santo Antão encontra o seu maior fascínio na imponência das suas montanhas e das suas falésias, que caem sobre o mar. Rica em cana-de-açúcar, o grogue (a bebida mais típica de todo o arquipélago) é ainda fabricado artesanalmente nesta ilha. Os seus habitantes dedicam-se sobretudo à agricultura, a sua principal riqueza, graças às chuvas, que são aqui em Santo Antão mais abundantes do que no resto do arquipélago.

Porto Novo é a maior vila da ilha. A sua grande importância reside no porto que é fundamental para economia de Santo Antão. É dali que parte o transporte marítimo dos seus produtos agrícolas para as outras ilhas do arquipélago. É também a única povoação da costa sul da ilha e por isso o acesso às restantes povoações da ilha é lento através das tortuosas estradas pelas montanhas.

Ribeira Grande é a principal vila de Santo Antão. Nela se encontram as principais entidades oficiais e as pequenas empresas e comércio. Fica situada na costa nordeste da ilha, no fim do grande Vale da Ribeira Grande que é suposto em tempos idos ter corrido um rio. Subindo a estrada de terra por este vale, em direção ao interior da ilha, obtém-se visões fantásticas de vales e montanhas, por vezes áridas e por vezes com alguma vegetação. A paisagem é efetivamente imponente e as estradas de terra que a percorrem são uma verdadeira aventura. No final de uma delas, subindo o grande vale e virando à direita para norte, chega-se a uma aldeia remota chamada Garça de Cima. Dali, no alto da montanha, já se avista o mar e a povoação de Cruzinha da Garça, para onde a estrada continua.

Ponta do Sol é uma pequena localidade perto de Ribeira Grande, situada junto ao mar. Distingue-se pelos seus graciosos edifícios coloniais, nomeadamente a câmara municipal. O único aeroporto da ilha fica mesmo ao lado e oferece ligações às outras ilhas principais. Continuando na estrada costeira que vem de Ribeira Grande e, depois de passar Ponta do Sol, vale a pena chegar perto da aldeia de Fontainhas. A paisagem é fabulosa e é lindo o contraste do pequeno casario colorido esmagado pela imponência das montanhas. Ainda mais para a frente, no fim da estrada, fica a aldeia de Cruzinha da Garça, também situada junto ao mar.

Paúl é a terceira vila na costa nordeste da ilha. Fica junto ao mar na estrada que vem de Ribeira Grande para leste. É também bonito o contraste com as montanhas. Em Paúl termina também o grande Vale de Paúl que vem do interior da ilha. É um vale luxuriante com uma predominância de verde rara no arquipélago e onde se concentram as maiores culturas de cana-de-açúcar da ilha, da qual se faz o grogue. Também se cultivam legumes e café.