SALVADOR DA BAÍA ASSUME PRESIDÊNCIA DA UCCLA

Data 30/03/2009 | Assunto: Política


"Pela primeira vez a UCCLA não será presidida pelo Município de Lisboa, mas inicia-se aqui em Lisboa a rotatividade da presidência.
Salvador da Baía (Brasil) assumiu a presidência da União das Cidades Lusófonas (UCCLA) em assembleia-geral realizada em Lisboa, que elegeu também Anacoreta Correia para novo secretário-geral desta organização, anunciou ontem o presidente do Município de Lisboa.
António Costa revelou que com esta assembleia-geral da UCCLA em Lisboa concluiu-se "o processo de transição, que se tinha iniciado com as alterações estatutárias" discutidas e aprovadas em anteriores reuniões (Macau, Huambo e Maputo), e que estipularam o "princípio da rotatividade" na presidência da UCCLA, deixando Lisboa pela primeira vez de estar à frente desta plataforma, fundada em 1984 pelo então presidente da autarquia, Nuno Krus Abecassis.
"Pela primeira vez a UCCLA não será presidida pelo Município de Lisboa, mas inicia-se aqui em Lisboa a rotatividade da presidência e com satisfação vimos Salvador da Baía assumir a presidência da UCCLA, o que é um sinal inequívoco de um maior envolvimento das cidades brasileiras nesta plataforma de cooperação lusófona", sublinhou António Costa.
Segundo o presidente da autarquia lisboeta, a comissão executiva da UCCLA, além de ser presidida por Salvador da Baía, terá nas vice-presidências as cidades de Maputo, Macau e Guimarães, sendo a vice-presidência por empresas assegurada pela Galp Energia.
Foi ainda decidido na reunião de Lisboa, que a mesa da assembleia-geral da UCCLA terá na presidência a Cidade da Praia (Ulisses Correia e Silva) e na vice-presidência as cidades de Luanda e Díli, sendo secretários Bissau e o Banco de Poupança e Crédito de Angola.
No Conselho Fiscal - prosseguiu António Costa - a presidência será assumida pela Caixa Geral de Depósitos e os vogais são Huambo (Angola) e Água Grande (S.Tomé e Príncipe), sendo suplentes Ribeira Grande, Santiago - Cabo Verde (Manuel de Pina) e o Município de Natal (Brasil), cuja adesão à UCCLA foi deliberada na assembleia-geral de Lisboa, conjuntamente com a adesão da cidade moçambicana da Beira.

António Costa disse ainda que esta assembleia-geral contou com a assistência pela primeira vez de uma delegação da cidade de São Paulo que vai agora ponderar poder vir a formalizar o seu pedido de adesão à UCCLA.

Por último - observou - a assembleia-geral aprovou a candidatura apresentada pelo Município de Lisboa do engenheiro Anacoreta Correia para exercer o cargo de secretário-geral, tendo António Costa recordado o "vasto currículo político e técnico" do ex-dirigente e deputado do CDS-PP, bem como a sua "vasta experiência no âmbito da cooperação" e ao nível de instâncias internacionais, incluindo a União Europeia.

Trata-se de "uma enorme mais valia", comentou António Costa, anunciando também que a próxima assembleia-geral da União das Cidades Capitais Luso-Afro-Américo-Asiáticas (UCCLA) terá lugar em Salvador da Baía, Brasil, em 2010.
Neste processo de transição da UCCLA, António Costa enfatizou ainda a estratégia de "assegurar a autonomia financeira" da organização relativamente ao Município de Lisboa, numa altura em que a UCCLA tem projectos de cooperação em nove cidades de seis países distintos, no valor de cinco milhões de euros.
Esse financiamento, explicou, será assegurado em 80 por cento por verbas da União Europeia.




Está notícia foi publicada no EMBAIXADA DE CABO VERDE NO BRASIL
http://www.embcv.org.br/portal

Endereço desta notícia:
http://www.embcv.org.br/portal/modules/news/article.php?storyid=755